Revista DSDS #1/2013

Por que vocês decidiram participar do júri do DSDS?
Bill: Pode parecer um clichê, mas isso é completamente diferente de tudo o que fizemos antes. Como jurado, eu tenho uma grande responsabilidade. Você pode influenciar o futuro dos candidatos.
Tom: DSDS oferece ao vencedor uma plataforma incrível. Pelo menos um hit e 500.000 euros são um bom começo. Então o que o artista vai fazer com eles, só depende de si próprio, é importante tomar as decisões certas.

Quais são seus pontos fortes? Como jurados, o que poderiam desejar mais de uma maneira especial?
Bill: Tom e eu criamos música desde que nós tínhamos sete anos. Esse negócio de música, nós basicamente crescemos com isso. Nós estivemos em pequenas e grandes fases, sabemos os lados bons e ruins e tivemos muita experiência que passamos para nossos candidatos. Nós queremos que eles tenham seu caminho no mundo da música e damos um empurrão.
Tom: Nós também esperamos que os candidatos façam o seu melhor com o que estamos dando a eles! Isso não é sempre assim!. O importante é claro: quanto potencial que o artista tem para começar realmente uma carreira.

O que deve ter um candidato para ganhar o coração do júri?
Tom: Eu acho que todos concordamos: a personalidade. E não procuramos apenas artistas e pessoas que cantam bem.
Bill: Alguém que possa levar a música em sua vida diária de uma forma fácil.

Onde candidatos devem prestar mais atenção em suas apresentações ao vivo?
Bill: Eles têm que estar confortáveis – com a música, suas vozes e, claro, com suas roupas. Nada vai bem no palco, se você se sentir desconfortável. Cada candidato tem seus 2 e 3 minutos durante a noite, é quando eles têm que dar tudo. É o que desejo deles.

Você tem algum conselho final para os candidatos a ter tudo sob controle? Você tem um ritual antes das performances? 
Tom: Uma hora e meia antes do show, estamos apenas a banda. Então nós tocamos juntos, Bill cantando e nós estamos nervosos, mas juntos. Estamos sozinhos e não somos perturbados. 
Bill: Não há um ritual final em específico…Mas uma coisa é certa: não importa quantas vezes você fizer, a emoção vem sozinha… 
Tom: Oh, talvez eu tenho outra dica: antes do show você deve necessariamente ter tempo para fazer… o que você precisa fazer, para que o desempenho seja mais relaxado. Eu aprendi isso com nosso baixista.

Você tem os mesmos candidatos favoritos ou são diferentes? Teve brigas entre vocês por isso?
Tom (rindo): Seria bom, sim, mas Bill e eu tenho os mesmos favoritos. Defendemos muito nos bastidores. Assim se houver uma briga, então é com Dieter e Mateo.
Bill: Tom e eu infelizmente tivemos que dizer adeus a alguns candidatos que gostaríamos de ver nos shows ao vivo!

Fora das câmeras, o que buscam com os candidatos?
Bill: Sim, definitivamente. Tom e eu estamos interessados apenas em mover os candidatos para a frente e ajudá-los. Também estamos aqui para isso! Não temos nenhum interesse em ver alguém falhar ou se envergonhe. Nós queremos ve-los crescer e melhorar semanalmente e podem contar conosco. Na frente e atrás das câmeras!

Que tipo de experiência que você viveu no negocio da musica e você poderia ensinar aos candidatos?
Tom: Nós sempre tentamos dar-lhes todos os pontos positivos do nosso ponto de vista, porque às vezes o lado negativo chega rápido.
Bill: Candidatos nos pediram, e é claro, estamos preparando-os para tentar protegê-los de qualquer coisa. Mas no final, todos fazemos nossos próprios erros.

E quais são seus pontos de vista, quando se trata dos principais fatores que fazem que um talento venha a fama?
Tom: É difícil dizer. A indústria diz, carisma, paixão, ambição, etc.. Mas é o mesmo, quando você ama alguém, “Por que você está com essa pessoa?” Um não pode descrevê-lo, é simples!

Sua mudança entre Los Angeles e Colónia (Alemanha) – como você se sente estando entre dois mundos?
Bill: Às vezes é engraçado. Definitivamente, existem dois mundos…
Tom: Nós amamos tanto e nós estamos contentes de poder fazer desta forma!

Qual a importância do estilo e personalidade sobre a indústria da música?
Bill: Não podem ser generalizados. Varia de acordo com a música! Há artistas que nesse estilo são uma porcaria e há artistas que fazem parte do estilo simples que vai com ele. Personalidade é importante. O projeto vem com a personalidade. Depende de si mesmo.

Para todos os fãs de Tokio Hotel: o que significa DSDS nas suas vidas? O que os fãs podem esperar em 2013?
Bill: Um novo álbum. Não sabemos quando virá, mas em 2013, sem dúvida.
Tom: Nós estamos agora com toda a banda no estúdio, fazendo a produção final. As músicas para o álbum estão prontas!

 

Fonte

Anúncios

Sobre THFanArmyBR

Nós somos o exército brasileiro de fãs da banda Alemã TOKIO HOTEL, e juntos lutaremos para trazer a banda novamente ao Brasil. 23.11.2010

Publicado em 24/03/2013, em New. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: